Oportunidade de eletrificação para a indústria automotiva

Nissan Motor helps electrifying the European automotive sector with its next-generation battery-powered Leaf sedan.

A indústria automotiva passa por uma transição, na qual os veículos elétricos caminham para ocupar grande parte do mercado. "Isso definitivamente acontecerá, mas não da noite para o dia", diz Eduardo Debone, da Sandvik. Para ele, o aumento da tecnologia elétrica e, mais importante, da híbrida representa uma grande oportunidade para os fornecedores desse setor.

Em 2017, a multinacional de serviços financeiros Morgan Stanley previu que haverá 1 bilhão de veículos elétricos nas ruas até 2050, com uma participação de mercado que crescerá de forma constante a partir de 2020. O relatório sugere que os veículos elétricos representarão 16% das vendas de automóveis até 2030, e se tornarão líderes de mercado com participação de até 69% em 2050.

O crescimento será impulsionado principalmente pelas novas legislações, com mais países incentivando o uso de tecnologias futuras, como veículos elétricos. Esses movimentos se generalizaram desde o Acordo de Paris de 2015, que busca "seguir com os esforços de limitar o aumento da temperatura para 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais".

Declaração de int

Em 2016, o Conselho Federal alemão aprovou uma resolução para proibir novos veículos movidos a gasolina ou diesel das estradas da UE (União Européia) a partir de 2030. Apenas veículos com zero emissão seriam permitidos no mercado depois dessa data. A resolução é uma clara declaração de interesse, embora esteja sujeita à aprovação do Conselho Europeu.

Em julho de 2017, o novo governo francês de Emmanuel Macron anunciou seus próprios planos para proibir veículos a gasolina e diesel até 2040, em alinhamento ao Acordo de Paris. A declaração francesa veio no dia seguinte ao anúncio da Volvo de que faria apenas carros totalmente elétricos ou híbridos a partir de 2019.

Países que vão de China, Índia e Japão a Holanda e Noruega anunciaram planos semelhantes.

Toda semana conheço pessoas que perguntam se os carros elétricos são uma ameaça para nossos negócios

Para os fornecedores da indústria automotiva convencional, como a Sandvik, essa tendência diminuirá a demanda por produtos e serviços conectados a motores de combustão interna (ICEs).

Eduardo Debone, Gerente de Negócios Automotivos da Sandvik Coromant, diz que esta perspectiva pode, na verdade, ser positiva.

Eduardo Debone, Gerente de Negócios Automotivos da Sandvik"Toda semana eu conheço pessoas que perguntam se os carros elétricos são uma ameaça para nossos negócios, e eu respondo que, a curto e médio prazos, essas novas plataformas representam uma oportunidade para a Sandvik", comenta.

A eletrificação cria oportunidades

A Sandvik está realizando um estudo profundo dos efeitos da eletrificação, e os resultados confirmam que ela criará oportunidades significativas nos próximos anos. "No momento, o cenário é favorável para os veículos híbridos, que têm um enorme potencial para produzir economias de CO2 sem exigir uma mudança de paradigma total em termos de tecnologia e infraestrutura", diz Debone.

Embora os veículos elétricos estejam em ascensão, alguns obstáculos ainda precisam ser superados. O preço ainda é uma preocupação para os consumidores, os carros levam muito tempo para carregar - cerca de 30 minutos - e a autonomia de cada modelo varia muito. Além disso, a rede elétrica atual não tem capacidade de suportar um mercado de carros elétricos em massa.

"A Noruega é um dos mercados mais desenvolvidos do mundo para veículos elétricos, e com uma rede de energia estável para apenas cinco milhões de habitantes, faz sentido", diz Debone. "Em cidades como São Paulo ou Nova Deli, ambas com cerca de 20 milhões de pessoas, onde as redes elétricas não conseguem suportar as necessidades do dia a dia de suas populações, o desafio é bem maior".

Futuro brilhante

Debone acredita que entre cinco e dez anos a crescente tendência de carros híbridos permitirá que os fornecedores de automóveis continuem a entregar as peças, tecnologias e componentes que eles fazem atualmente, além de alguns novos. "Os híbridos requerem os mesmos componentes que os veículos ICE, além de peças novas para suportar a tecnologia híbrida", diz.

Para a Sandvik, um futuro eletrificado é um futuro brilhante.

"Quando os carros elétricos se tornarem realidade em uma escala maior, teremos uma oferta madura para muitas áreas, como a manufatura digital e a manufatura aditiva, entre outras", completa.

Por enquanto, não temos alternativa para os combustíveis fósseis

"Em última análise, acho que a solução em longo prazo incluirá tecnologias de célula de combustível como complemento de baterias e motores de combustão interna", diz. "Antes disso, as tecnologias precisam amadurecer. Por enquanto, não temos alternativa aos combustíveis fósseis.”