A metalurgia do pó torna os fornos eco-amigáveis

Os materiais para metalurgia do pó da Sandvik, com sua combinação única de alta resistência à oxidação e estabilidade da forma, aumentam a produtividade e a economia de energia. Eles também reduzem a necessidade de manutenção para aqueles clientes cujos processos de fabricação exigem alta temperatura.

O tratamento térmico eficiente é vital na produção de tudo, desde circuitos integrados para smartphones até células solares e produtos à base de aço e alumínio. Um desafio que os fabricantes estão constantemente enfrentando é que os fornos industriais têm que lidar com o calor extremo, necessário para esses processos, muitas vezes até 1.250 graus Celsius.

"Um problema comum é que os componentes de construção dos sistemas de aquecimento se deformam ao longo do tempo", diz Bo Jönsson, Especialista Técnico da Kanthal, empresa do Grupo Sandvik que desenvolve produtos e sistemas de aquecimento industrial. "Para que um material funcione adequadamente em altas temperaturas, são necessárias duas propriedades essenciais: boa estabilidade da forma e resistência à oxidação".

Aumenta a economia de energia

“Materiais tradicionalmente utilizados nestes tipos de aplicações de forno muitas vezes têm como base o níquel, que proporciona uma boa estabilidade de forma, mas uma resistência à oxidação limitada", ele explica. Contudo, materiais produzidos convencionalmente – que têm como base ferro, cromo e alumínio - possuem excelentes propriedades de oxidação, mas apresentam uma estabilidade relativamente baixa.

Para que um material funcione adequadamente em altas temperaturas, são necessárias duas propriedades essenciais: boa estabilidade da forma e resistência à oxidação

"Trabalhamos muito para encontrar soluções que ajudem os clientes com esse dilema", diz Jönsson. "Os materiais Kanthal APM™ e Kanthal APMT™ combinam altíssima resistência à oxidação e estabilidade de forma. A chave para o desenvolvimento exitoso dessas propriedades foi o uso da metalurgia do pó para obter uma microestrutura ideal nos materiais".

Jönsson explica que a técnica de metalurgia do pó tornou possível estruturar o metal com bilhões de partículas pequenas, aumentando substancialmente a sua força a altas temperaturas. Os materiais agora são usados ​​em aplicações como sistemas de aquecimento para fornos industriais e outros usos exigentes.

"Um exemplo são os rolos de forno para linhas de recozimento contínuas feitas de Kanthal APMT™, que elimina a necessidade de resfriamento com água", diz Jönsson. "Isso proporciona economias significativas de energia e benefícios ambientais. Em muitos casos, também foi possível reduzir a necessidade de manutenção e aumentar a produtividade como resultado de temperaturas de processo aumentadas e menos paradas".

Trabalhamos muito para encontrar soluções que ajudem os clientes com esse dilema

Jönsson vê oportunidades significativas para expandir o uso de materiais de metalurgia do pó. Por exemplo, Kanthal APMT™ contribuiu para que a Sandvik agora esteja envolvida em vários projetos relacionados a futuro fornecimento livre de energia fóssil.

"A combustão de combustíveis biológicos gera ambientes corrosivos que nossos materiais demonstraram boas habilidades para resistir", diz Jönsson. "Eles poderiam até ser úteis na próxima geração de usinas nucleares. E para que a energia solar concentrada em larga escala seja rentável, são necessários novos materiais que podem manipular e armazenar energia solar a temperaturas mais elevadas”.

Leia mais sobre os materiais Kanthal APM™ e Kanthal APMT™ no website da Kanthal (em inglês)